QUEBRANDO O SALTO


Desvendando o mistério dos saltos

 

Rasteirinhas, sandálias de plataforma anabela, tênis e chinelinhos de dedo. Durante a última semana, usei apenas sapatos de solado baixo. Eu simplesmente não podia correr o risco de quebrar mais um salto...

 

Fiquei intrigada com o fato de ter quebrado nada menos do que 3 saltos de sapato em apenas uma semana – um total de 4 saltos em menos de 2 meses, contando com a quebra que deu origem ao nome deste blog. Eu precisava desvendar o mistério: por que ando quebrando tantos saltos?

 

Recebi vários comentários e hipóteses de leitoras e leitores queridos. Eles me fizeram refletir amplamente sobre essa questão.

 

Menções filosóficas não faltaram:

§      “Será que você está chutando muitos paus de muitas barracas?” – Seria eu ousada demais em minhas colocações? Estaria quebrando muitos tabus? Falando muita bobagem? Se for assim, tenho que me preparar: vou quebrar todos os saltos dos meus sapatos até o final do ano...

§      “É a vida imitando a arte.” – Vida imitando a arte, arte imitando a vida... Estaria eu no caminho para me tornar uma Frida Kahlo das letras? Não, por favor, não! E com aquelas sobrancelhas, não!

 

Alguns comentários evocaram aspectos da vida sentimental:

§      “Você está passando por um momento ‘Branca de Neve’. Os saltos estão quebrando para você ficar da mesma altura que os anões.” - Bem... Não tenho o menor problema em me relacionar com homens mais baixos do que eu. Conheci e conheço vários gigantes de baixa estatura (vide Napoleão). Mas será que o trauma de quase ter sido seqüestrada por uma tribo de pigmeus pré-colombianos ainda reverbera em minha psique?...

§       “Acho que (você) está chutando muitos homens para fora da barraca... Haja salto.” - Preciso deixar algo bem claro: eu não chuto homens para fora da barraca. Eu apenas convido os inoportunos a se retirarem...

 

Outras análises tangenciaram questões, digamos, mais psicológicas:

§      “Você está quebrando tantos saltos porque precisa escrever mais textos.” – Seria uma mensagem do meu subconsciente, me levando a ver que desejo escrever mais e mais? Bem, isso para mim já é claro, então, eu não precisaria quebrar tantos saltos...

§       “Depois do Barbie Quebra Nozes, poderia ter a história da Barbi Quebra Salto.”- Seria Barbi Quebra Salto o alter ego de Tati Quebra Barraco?

§      “Você tem certeza que se tornou vítima do "quebrando o salto", quando recebe de presente de uma amiga uma revista com a capa intitulada "mulheres poderosas" e pensa que essa amiga a considera uma mulher poderosa! porém, na hora de agradecer pelo elogio, a amiga vira e diz: não é essa reportagem que eu queria te mostrar e sim a sobre mulheres engraçadas.” – Eu  realmente espero que, um dia, os adjetivos ‘engraçada’ e ‘poderosa’ possam coexistir... Só posso concluir que continuarei ‘quebrando mais saltos’ para que isso aconteça...

 

E, por último, pairou aquele olhar mais direto e reto da realidade:

§      “Pára de desculpas para comprar mais sapatos.” – Na verdade, qualquer desculpa é válida quando se quer um novo par de sapatos... E, de fato, ter quebrado 3 saltos em uma semana é um álibi perfeito...

 

Deixo aqui minha homenagem a todos vocês que contribuíram para minhas reflexões sobre a quebra dos saltos. Vocês já fazem parte dessa história.

 

Mas um fato simples, um detalhe mínimo se apresentou no último instante. Uma chave para a solução do mistério dos saltos foi revelada apenas ontem à noite, antes de escrever este texto...

 

Separando os sapatos com os saltos quebrados, para finalmente dispensá-los do armário, percebi que todos os 4 tinham algo em comum: foram comprados em uma mesma loja e eram da mesma marca.

 

Coincidentemente, a fábrica dona da marca faliu há uns dois meses. Não agüentou a competição com os fabricantes chineses de sapatos...

 

A explicação para o mistério da quebra dos saltos passou pelo filosófico, pelo sentimental e pelo psicológico, porém, é mais provável que os saltos tenham se quebrado em virtude de sua baixa qualidade – manobra da fábrica tupiniquim, para imprimir baixos custos e tentar sobreviver frente aos chineses...

 

De qualquer maneira, metafórica ou fisicamente, ‘quebrar saltos’ já faz parte da minha realidade. E esse hábito veio para ficar.

 

 Maria Rita Barbi usou havaianas em enlace de gala no último sábado e escreve no 'Quebrando o Salto' geralmente às segundas-feiras.



Escrito por Maria Rita Barbi às 12h16
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


UOL
 



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, BROOKLIN NOVO, Mulher, de 26 a 35 anos
Histórico
Outros sites
  UOL - O melhor conteúdo
  Ronal'to-na-China
  Haja Saco
  Blog do Torero
  Blog do Lelê
  Tecnologias Curiosas
  Elika na China
  Voando sem rumo pelo Brasil!
  No Improviso
  Kriativa
  Très Fantastique
  Haja Salto
  Pitadas Cotidianas
  A Monga e a Executiva
Votação
  Dê uma nota para meu blog